Notícias ACEGIS

  • Associação para a Cidadania, Empreendedorismo, Género e Inovação Social

    A ACEGIS reconhece-se enquanto entidade de referência nas áreas estratégicas da cidadania, inclusão, igualdade de género, empreendedorismo e inovação social. Intervimos ativamente pela construção de uma sociedade mais justa, paritária e inclusiva!

  • Dia Internacional da Juventude: celebrando os jovens construindo paz Atualmente, existem cerca de 1.8 mil milhões de jovens entre os 10 e os 24 anos de idade, cerca de um quarto da população mundial. A maior geração de jovens de sempre na história da humanidade, está nas nossas mãos ajudá-la a tornar-se a geração que […]

Dia Internacional da Juventude: celebrando os jovens construindo paz

11 Agosto, 2017
/ / /

Dia Internacional da Juventude: celebrando os jovens construindo paz

Atualmente, existem cerca de 1.8 mil milhões de jovens entre os 10 e os 24 anos de idade, cerca de um quarto da população mundial.
A maior geração de jovens de sempre na história da humanidade, está nas nossas mãos ajudá-la a tornar-se a geração que mudou o mundo!


Criado por resolução da Organização das Nações Unidas (ONU), em 1999, todos os anos, a 12 de agosto, celebra-se o Dia Internacional da Juventude.
Dia Internacional da Juventude 2017 «Jovens construindo a paz» | International Youth Day 2017 “Youth Building Peace”
12 de agosto |12 August

ONU define como jovens os cidadãos na faixa etária entre os 15 e os 24 anos, estes representam cerca de um quarto da população mundial, 1.8 mil milhões de jovens. A maior geração de jovens na história da humanidade.
Mais de 600 milhões de jovens vivem em ambientes frágeis e afetados por conflitos armados. Muitos outros são forçados a fugir, a separar-se das suas famílias, tornando-se refugiados ou deslocados.
No entanto, há um crescente reconhecimento do papel dos jovens na agenda para a paz e segurança, de forma a prevenir e combater o extremismo violento, especialmente nas zonas de conflito e mais afetas pela violência.
Conscientes desta situação, em 2017 a Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu o tema “Jovens construindo a paz”  (“Youth Building Peace”) para assinalar o Dia Internacional da Juventude.
Desta forma, a ONU sublinha a importância dos jovens na consolidação da paz e da segurança, incentivando a sua participação ativa na manutenção da paz e da segurança internacional. 
Acresce que a Agenda 2030 coloca a paz, justiça e a eficácia das instituições (Objetivo 16) na nova agenda de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas.
Um reconhecimento do papel positivo e construtivo dos jovens na manutenção da paz e na preservação da segurança internacional, como fator decisivo na construção de sociedade justas, pacíficas e inclusivas.

Estima-se que mais de 600 milhões de jovens vivem em ambientes frágeis e afetados por conflitos armados. Excluir um número tão elevado de jovens dos problemas que os afetam diretamente, compromete o desenvolvimento das gerações futuras: 600 milhões são demais.
Não há desenvolvimento sustentável sem paz e segurança. Todos e todas nós temos pelo menos uma obrigação: dar aos jovens a oportunidade de fazer parte da decisão na forma como o mundo procura acabar com a violência e os conflitos, e de construir sociedades pacíficas e inclusivas.
Fazendo dos valores da cidadania, da igualdade, da liberdade, dos direitos humanos, da tolerância e da paz, a solução para alcançar o desenvolvimento sustentável.
Esta é a maior geração de jovens da história da humanidade, está nas nossas mãos ajudá-la a tornar-se a geração que mudou o mundo!
Susana Pereira, ACEGIS

A Associação ACEGIS é Represente Nacional da  IPYG – Grupo Internacional de Jovens pela Paz – ONG Internacional presente em cerca de 79 países de todo o mundo, mobilizando milhares de jovens em todo o mundo na construção e luta pela paz, através da promoção de diálogos, conferências, projetos e educação para a paz.

 

Read More

Dia Internacional dos Povos Indígenas

9 Agosto, 2017
/ / /

Dia Internacional dos Povos Indígenas

9 de agosto | 9 August
.
Estima-se que a população indígena ronde as 370 milhões de pessoas – cerca de 5% da população mundial –  um terço vive em situação de pobreza extrema (15%).
O Dia Internacional foi proclamado pela Assembleia Geral das Nações Unidas a 23 de  dezembro de 1994.


9 de Agosto – Dia Internacional dos Povos Indígenas
Os povos indígenas representam um terço da população mais pobre do mundo.
Estima-se que a população indígena ronde as 370 milhões de pessoas – cerca de 5% do total mundial, no entanto encontram-se entre as populações mais desfavorecidas e vulneráveis. Um terço vive em situação de pobreza extrema.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU) cerca de 15% dos 370 milhões de pessoas indígenas vivem em situação de pobreza extrema, representando um terço da população mais pobre do mundo.
O relatório da ONU revela que as pessoas indígenas “constituem uma parte desproporcional da população pobre, analfabeta e desempregada do planeta”.
Os povos indígenas são herdeiros de uma rica diversidade cultural, costumes e tradições linguísticas. Eles representam mais de 5.000 culturas diferentes, mais de 7.000 línguas em mais de 90 países de todo o mundo.
Apesar da diversidade de comunidades indígenas em todo o mundo, a maioria tem procurado preservar a sua identidade e os seus valores culturais, sociais e económicos, incluindo as suas terras, territórios e recursos naturais.
Compete à comunidade internacional o reconhecimento da identidade dos povos indígenas para proteger os seus direitos e manter a sua cultura e estilos de vida.

Tema de 2017: 10.º aniversário da Declaração da ONU dos Direitos dos Povos Indígenas
Este ano assinala-se também o 10.º aniversário da Declaração da ONU dos Direitos dos Povos Indígenas, adotada em 13 de setembro de 2007.
Declaração sobre os Direitos dos Povos Indígenas é um marco importante e uma referência em termos de cooperação e solidariedade entre os povos indígenas e Estados-Membros  das Nações Unidas, sendo o instrumento internacional mais abrangente que existe sobre os direitos dos povos indígenas.
O dia 9 de agosto foi instituído no ano de 1994, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em reconhecimento da primeira reunião do Grupo de Trabalho das Nações Unidas sobre Populações Indígenas, realizada em Genebra em 1982. 
.
O Dia Internacional foi proclamado pela Assembleia Geral das Nações Unidas a 23 de  dezembro de 1994, e representa uma conquista para a preservação e integridade física e cultural desses povos.

Leia na íntegra a Declaração sobre os Direitos dos Povos Indígenas
Relatório State of the World’s Indigenous People
Hashtag nas redes sociais: #WeAreIndigenous 
Para obter mais informações, consultewww.un.org/indigenous

 

Read More

Em oitos meses a humanidade já gastou os recursos naturais disponíveis para o ano inteiro

2 Agosto, 2017
/ / /

Ambiente: Em oitos meses a humanidade já gastou os recursos naturais disponíveis para o ano inteiro A Humanidade atinge esta quarta-feira o limite dos recursos naturais do Planeta disponíveis para este ano, isto é, o orçamento natural, habitualmente designado como Earth Overshoot Day. Em oitos meses a humanidade já gastou os recursos naturais disponíveis para o […]

Read More

Maria de Lurdes Pintasilgo, uma Mulher que foi pioneira em quase tudo o que fez

1 Agosto, 2017
/ / /

Maria de Lourdes Pintasilgo, uma Mulher que foi pioneira em quase tudo o que fez

1 de agosto de 1979, Maria de Lurdes Pintasilgo, primeira e única mulher Primeira-Ministra, que chegou ao poder dois meses depois de Margaret Thatcher.
« O feminismo não é a luta das mulheres contra os homens: é a luta das mulheres pela sua autodeterminação; é o processo de libertação de uma cultura subjugada; é a conquista que do espaço social e político onde ser mulher tenha lugar». 


1 de agosto de 1979, Maria de Lurdes Pintasilgo, primeira e única mulher Primeira-Ministra, que chegou ao poder dois meses depois de Margaret Thatcher.
Maria de Lourdes Pintasilgo é uma referência incontornável na história da política portuguesa e na Europa, não só por ter sido a primeira e única mulher a ocupar o cargo de primeira-ministra em Portugal, e a segunda na Europa, dois meses após a tomada de posse de Margarete Thatcher, no Reino Unido.
Maria de Lurdes Pintasilgo, uma Mulher que foi pioneira em quase tudo o que fez.
Maria de Lurdes Pintasilgo distinguiu-se em várias áreas da vida pública nacional e internacional. Para a história ficam as batalhas de uma Mulher que foi pioneira em quase tudo o que fez.
Primeira mulher quadro superior da maior empresa nacional da época, a CUF, em 1953.
Primeira mulher a exercer um cargo ministerial em 1974.
Primeira e única mulher a desempenhar o cargo de primeira-ministra em Portugal, em 1979.
Primeira mulher a candidatar-se à Presidência da República em 1986.

Em 1986, Maria de Lurdes Pintasilgo foi a primeira portuguesa a candidatar-se a umas eleições presidenciais, sete anos depois de ter ficado na história como a primeira mulher a desempenhar o cargo de primeira-ministra em Portugal, em 1979, no V Governo Constitucional.
Foi presidente da Comissão da Condição Feminina e após o 25 de abril de 1974 integrou vários governos provisórios, tendo assumido cargos com grande protagonismo e visibilidade, nomeadamente na UNESCO, onde foi embaixadora.
A sua candidatura às eleições presidenciais de 1986, como independente, mobilizou multidões, sob o lema: “Pintassilgo Presidente – a coragem da decisão!”, num sufrágio que viria a ser ganho, à segunda volta, por Mário Soares.
A nível internacional Maria de Lourdes Pintasilgo integrou o Conselho da Ciência e Tecnologia ao Serviço do Desenvolvimento da ONU (1989-1991), foi membro da Universidade da ONU, pertenceu ao Comité de Sábios da Europa, presidiu à Comissão Independente para a População e a Qualidade de Vida (1992-1999) e foi co-presidente da Comissão Mundial da Globalização.
Maria de Lourdes Pintasilgo faleceu a 10 de Julho de 2004, na sua residência, vítima de ataque cardíaco.
« O feminismo não é a luta das mulheres contra os homens: é a luta das mulheres pela sua autodeterminação; é o processo de libertação de uma cultura subjugada; é a conquista que do espaço social e político onde ser mulher tenha lugar». 
Maria de Lurdes Pintasilgo (1981)

 

Read More

A ACEGIS celebra hoje o seu 8º aniversário: 8 anos de Ativismo Social

8 Junho, 2017
/ / /
Comments Closed

 A ACEGIS celebra hoje o seu 8º aniversário: 8 anos de Ativismo Social!

8 de junho de 2017
A Associação ACEGIS completa hoje oito anos desde a sua fundação.  Em 2017, voltamos a reafirmar os princípios de há oito anos.
Nenhum país ou região pode alcançar o progresso e desenvolvimento económico enquanto deixar de fora uma parte significativa da sua população. Só as sociedades que têm acesso total a todo o potencial humano vão manter-se competitivas e prosperar.
Como humanidade temos a obrigação de garantir a universalidade da igualdade de direitos e da igualdade de oportunidades enquanto valores fundamentais.  

Só podemos falar em democracia, progresso e desenvolvimento social económico e humano se inscrevermos nas suas premissas os valores da cidadania, igualdade, solidariedade, participação e diversidade.
 Isto significa que para construir o progresso e o desenvolvimento sustentável no século XXI, é necessário colocar  a igualdade de direitos e da igualdade de oportunidades enquanto parte integrante do progresso e desenvolvimento económico.
A construção de uma sociedade onde a tolerância é respeitada, a união se faz pela diversidade e a paz é construída, só é possível se garantirmos a universalidade dos direitos humanos. 
Rejeitando o discurso do ódio, da xenofobia e do preconceito. Defendendo o direito universal de viver em igualdade e sem discriminação, respeitando a dignidade e os direitos humanos.
Nenhum país ou região pode alcançar o progresso e desenvolvimento económico enquanto deixar de fora uma parte significativa da sua população. Só as sociedades que têm acesso total a todo o potencial humano vão manter-se competitivas e prosperar.
Mas, ainda mais importante, a integração da perspectiva dos direitos humanos e da igualdade de oportunidades é estratégia inteligente para o progresso e desenvolvimento económico e humano. 
Como humanidade temos a obrigação de garantir a universalidade da igualdade de direitos e da igualdade de oportunidades enquanto valores fundamentais.

Em 2017, voltamos a reafirmar os princípios de há oito anos.
Lutamos pela construção de uma sociedade mais justa, paritária e inclusiva.
Construída por todos/as e para todos/as. Assente nas premissas e nos valores da cidadania, igualdade, solidariedade, participação e diversidade.
por Susana Pereira
Fundadora e Presidenta Executiva da Associação ACEGIS

 

Read More

O Dia Mundial da Criança é com o Cidadania 4 Kids!

19 Maio, 2017
/ / /
Comments Closed

O Dia Mundial da Criança é com o Cidadania 4 Kids! Cidadania 4 Kids! Apreende os TEUS DIREITOS. Os DIREITOS da CRIANÇA. As crianças têm o Direito de aprender os seus Direitos! No Dia Mundial da Criança ofereça os Direitos da Criança às crianças. Ofereça o nosso Jogo Educativo da Cidadania – Cidadania 4 Kids! […]

Read More

Licença Parental: Governo quer aumentar licença de parentalidade do pai para 20 dias úteis

5 Maio, 2017
/ / /
Comments Closed

Licença Parental: Governo quer aumentar licença de parentalidade do pai para 20 dias úteis

Governo quer aumentar licença de parentalidade do pai para 20 dias úteis e alargar para um mês do acompanhamento de filhos recém-nascidos internados.
O pai passará obrigatoriamente a gozar 20 dias úteis de licença e terá ainda direito a mais 5 dias facultativos.

O Governo apresentou à Concertação Social a proposta de aumento da licença de paternidade para 20 dias obrigatórios e de alargamento para um mês do acompanhamento de filhos recém-nascidos internados.
Atualmente a licença de parentalidade do pai é de 15 dias úteis, que são obrigatórios, sendo cinco após o nascimento e dez nos 30 dias seguintes. A proposta alarga para 20, sendo cinco gozados após o nascimento e os restantes até a criança fazer 30 dias.
De acordo com o documento que o ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, entregou na quinta-feira aos parceiros sociais na reunião da Concertação Social, a licença de gozo obrigatório do pai passa a ser de 20 dias úteis e o período facultativo é reduzido e passa a ser de cinco dias úteis.
Na prática, o alargamento do período obrigatório da licença do pai será acompanhado por uma diminuição também em cinco dias do período facultativo, pelo que a duração da licença de parentalidade global do pai continuará a ser de 25 dias úteis.
A diferença é que o período obrigatório passará a ter cinco dias a mais e o período facultativo passará a ter cinco dias a menos.
Além disso, foi ainda proposto o alargamento para um mês da licença parental para o acompanhamento de filhos recém-nascidos internados.
A lei atualmente prevê a suspensão da concessão do subsídio parental inicial.
Read More

AppVD: Uma Aplicação para Telemóvel Contra a Violência Doméstica

10 Março, 2017
/ / /
Comments Closed

AppVD: Uma Aplicação para Telemóvel Contra a Violência Doméstica A AppVD é uma aplicação para telemóvel que ajuda a proteger e disponibiliza informação a vítimas de violência doméstica. A aplicação pode ser descarregada gratuitamente Loja da Apple ou no Google Play.  AppVD – APPoio Contra a Violência Doméstica Está disponível a partir desta sexta-feira uma […]

Read More

Rússia aprova descriminalização da violência doméstica

27 Janeiro, 2017
/ / /
Comments Closed

Rússia aprova descriminalização da violência doméstica 

Câmara Baixa do Parlamento russo (Duma) aprovou esta sexta-feira, 27 de janeiro, o projeto de lei que despenaliza a violência doméstica.
Agressores que não causem danos à saúde da vitima e não repitam as agressões no espaço de um ano, não responderam criminalmente.

O Parlamento russo aprovou esta sexta-feira, 27 de janeiro, o projeto de lei que despenaliza a violência doméstica sempre que a agressão não causar danos à saúde da vítima e não se repetir. A proposta de lei foi aprovada quase por unanimidade, 380 deputados/as votaram a favor, apenas 3 contra.
A partir de hoje, e de acordo com a nova legislação, os agressores deixam de ser penalizados nos casos em que a vítima não precise de receber tratamento hospitalar, e desde que o agressor não repita o ataque, e ao mesmo familiar, no prazo de um ano.
Elena Mizulina, uma das grandes impulsionadoras deste projeto-lei, alega que “não faz qualquer sentido uma pessoa ir presa durante dois anos só por dar uma bofetada a alguém”. 
“A descarada ingerência na família” pela justiça “é intolerável”, considerou Vladimir Putin recentemente, ao responder a um ativista que o questionou sobre a conveniência de acabar com uma lei que permite “prender um pai só porque deu umas palmadas num filho porque o mereceu”.
“Lei da bofetada” – a legitimação da violência doméstica
A ACEGIS entende que a aprovação desta nova proposta de lei, sustentada na defesa dos “valores tradicionais” constituiu uma forma grave de legitimação da violência contra as mulheres, crianças e idosos.
Acresce este projeto de lei – a “lei da bofetada” –  para além de legitimar a violência nas relações familiares  e na esfera doméstica, reforça a uma visão autoritária e dominante do poder patriarcal e simbólico da dominação masculina, sobre as mulheres, crianças e idosos (as).
De acordo com o Ministério do Interior Russo, 40 mulheres por dia e cerca de 14 mil mulheres por ano morrem às mãos dos maridos ou companheiros. Mais de 600 mil mulheres sofrem de violência doméstica todos os anos. 

“se ele te bate, é porque gosta de ti”

Só em 2013, morrerem 9.100 mulheres, vítima de violência doméstica, e 11.300 foram vítimas de agressões corporais graves.
No mesmo ano, 46 mil crianças foram vitimas de agressões graves e violentas, cerca de 2 mil morreram.
Mulheres e crianças, vítimas de violência doméstica, no seio familiar, vitimas da “descarada ingerência na família”.  No país, onde há uma expressão que diz que “se ele te bate, é porque gosta de ti”.
Neste sentido, apelamos a todos e a todas a subscrever a petição da Change.org contra a lei da descriminalização da violência doméstica, e que conta já com mais de 239 mil assinaturas. 

Assine, Partilhe, Denuncie.
Diga não à violência doméstica.
Diga não à violência contra as mulheres, crianças e idosos.
Assine aqui a Petição.

 

Read More

Refugiados em risco de morrer de frio nas ilhas gregas

13 Janeiro, 2017
/ / /
Comments Closed

Refugiados em risco de morrer de frio nas ilhas gregas

A vaga de frio e neve que tem assolado a Grécia nos últimos dias está a ameaçar a vida dos refugiados, com as pessoas a dormir em tendas cobertas de neve.  O alerta é feito pela Amnistia Internacional.

Deixados ao Frio. Sujeitos a morrer nas ilhas gregas.

“Que tipo de sociedade trata as pessoas assim?”


Refugiados em risco de morrer de frio nas ilhas gregas
Homens mulheres e crianças estão a viver em tendas cobertas de neve e sob temperaturas negativas em vários centros de acolhimento na Grécia, suportando temperaturas negativas e a viver em tendas cobertas de de neve.
Os refugiados dormem em tendas cobertas de neve, a temperaturas abaixo de zero, correndo o risco de morrer congelados. 
“São vítimas das políticas desumanas da União Europeia”

A ACEGIS junta-se ao apelo da Amnistia Internacional e questionamos:
“Que tipo de sociedade trata as pessoas assim?”
As condições de vida de milhares de refugiados que enfrentam esta vaga de frio nos campos de acolhimento grego são absolutamente deploráveis e inaceitáveis.
“Este não é o tratamento que eles deviam esperar de uma sociedade cujos valores fundadores incluem liberdade, democracia e respeito pelos direitos humanos”
Junte-se à nossa voz e faça chegar esta mensagem e este apelo ao presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker, a exigir um tratamento digno para os refugiados que estão a em risco de morrer de frios nas ilhas gregas.

Subscreva aqui a petição da Amnistia Internacional.

Read More

Campanha de Natal – Jogo da Cidadania

10 Dezembro, 2016
/ / /
Comments Closed

Campanha de Natal – Jogo da Cidadania: Cidadania 4Kids!

O Presente de Natal que vai encher o sapatinho das crianças o ano inteiro! 

Um jogo desafiante que ensina às crianças os valores da cidadania, da igualdade, dos direitos humanos, e a educar por um ambiente mais sustentável e ecológico.

Ao comprar está a ajudar a ACEGIS!  100% Português. 100% Solidário.  O valor das vendas reverte na sua totalidade para a nossa causa social! 

Este Natal ofereça o nosso Jogo Educativo.  O  Primeiro Jogo Educativo em Cidadania, Ambiente, Direitos Humanos e Direitos da Criança!

Curiosidades,  jogos, quebra-cabeças, puzzles, sudokus e muito mais! 

Este Natal ofereça o nosso Jogo Educativo. Uma forma divertida de aprender Cidadania.  

Cidadania. Ambiente. Direitos Humanos. Direitos da Criança.

JOGO DA CIDADANIA

100% Português. 100% Solidário.  Jogo produzido e desenvolvido pela @ACEGIS!

Cidadania 4 Kids! é um jogo desafiante que ensina às crianças os valores da cidadania, da igualdade, dos direitos humanos, e a educar por um ambiente mais sustentável e ecológico.

 

Conteúdo| Jogo da Cidadania – Cidadania 4 Kids!

cidadania-4kids-1Jogo Educativo + 7 anos
Dimensões: 110 x 156 x 20 mm
45 Cartas Educativas: 
Aprende com as cartas Sabias Que? E joga os Desafios da Cidadania
Temas em 4 blocos: Cidadania. Ambiente. Direitos Humanos. Direitos da Criança.
Curiosidades, jogos, quebra-cabeças, puzzles, sudokus e muito, muito mais!
Um jogo divertido, solidário e educativo.  
O Presente ideal para oferecer este Natal.

 

Se educarmos as nossas crianças nos valores da cidadania, da igualdade, da liberdade, dos direitos humanos, da tolerância e da paz, poderemos ajudá-las a tornar a geração que mudou o mundo!

Ao COMPRAR está a AJUDAR a ACEGIS! 

Acreditamos que a Educação para Cidadania pode transformar o mundo
Acreditamos e lutamos para que ainda neste séculopossamos viver numa sociedade mais justa, paritária e inclusiva. Apoie a ACEGIS e faça parte da nossa missão!

 

Encomendas agora o  Jogo da Cidadania –  aqui

Preço: €11.99 – Portes de envio grátis

campanha-natal2016-jogo-da-cidadania_acegisFaça já a sua encomenda e receba em casa, na sua caixa de correio o Jogo da Cidadania.

Faça a sua nota de encomenda do Jogo da Cidadania aqui.

 

Ou peça informação pelo e-mail: geral.acegis@gmail.com | Telefone:  212 592 663     

 

 

O Presente deste Natal que vai encher o sapatinho das crianças o ano inteiro!

CIDADANIA 4KIDS

Jogo da Cidadania – Cidadania 4kids. Uma forma divertida de aprender Cidadania.

100% Português. 100% Solidário. O valor das vendas reverte na sua totalidade para a nossa causa social!

 

Read More

Portugal 2016: em média, duas mulheres assassinadas por mês

25 Novembro, 2016
/ / /
Comments Closed

Portugal 2016: em média, duas mulheres assassinadas por mês

Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres
Dados do Observatório de Mulheres Assassinadas da UMAR dão conta que só este ano 22 mulheres foram assassinadas, na sua maioria às mãos de atuais ou ex-companheiros, 23 escaparam a tentativas de homicídio.

Portugal 2016: em média, duas mulheres assassinadas por mês- ACEGIS


O Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1999, com vista a chamar a atenção da sociedade para as várias formas de violência de que as mulheres são vítimas.

A violência contra as mulheres constitui uma violação dos seus direitos e liberdades fundamentais, bem como uma atentado contra a dignidade e direitos da mulher.

A comemoração do 25 de novembro mais do que homenagear todas as mulheres e meninas vítimas de violência, visa alertar para a persistente visão de subalternidade da mulher na sociedade e, desse modo, legitimar a violência.

Mais de 450 mulheres assassinadas nos últimos 12 anos em Portugal

Só nos últimos 12 anos, 454 mulheres foram assassinadas em Portugal e 526 foram vítimas de tentativa de homicídio, a maioria por parte de homens com quem viviam uma relação de intimidade.

Estes são os números divulgados esta quinta-feira do Observatório de Mulheres Assassinadas (OMA) União de Mulheres Alternativa e Resposta – UMAR.

Portugal 2016: em média, duas mulheres assassinadas por mês


Dados do Observatório de Mulheres Assassinadas da UMAR dão conta que só este ano 22 mulheres foram assassinadas, na sua maioria às mãos de atuais ou ex-companheiros, sendo que outras 23 escaparam a tentativas de homicídio.

De 1 de janeiro a 20 de novembro de 2016, o OMA contabilizou um total de 22 femicídios e mais 23 tentativas de homicídio. Em média, foram verificados dois homicídios por mês, sendo que 45% das vítimas (10) tinham mais de 65 anos, 23% (cinco) entre os 36 e 50 anos e 14% (três) entre os 24 e os 35 anos.

Em 64% dos casos, a vítima tinha uma relação de intimidade com o agressor, e a maioria dos crimes – 86%- ocorreu em casa.

O observatório verificou que 2016 foi o ano que registou o menor número de tentativas de homicídio, perfazendo uma média de dois crimes na forma tentada por mês em Portugal, quando a média registada nos anos anteriores era de três crimes por mês.

Vítimas de violência doméstica demoram entre dois a seis anos a denunciar crimes

A forma mais comum de violência sofrida pelas mulheres é a violência exercida pelo seu parceiro, na intimidade, que, por vezes, culmina na morte. A única forma de reduzir drasticamente os números da violência contras as mulheres, é através da denúncia e não silenciar o flagelo da violência.

No entanto, a maioria das vítimas de violência doméstica espera entre dois a seis anos para procurar ajuda e denunciar o crime. E mais de uma centena de mulheres demoraram mais de 40 anos a até apresentar queixa por violência doméstica. Os dados constam do relatório da Associação de Apoio à vítima (APAV) – Vítimas de Violência Doméstica 2013-2015.

O número de casos de violência continuada tem, de resto, vindo a aumentar, ano após ano. Em 2013, a APAV sinalizou 7.271 situações, em 2014 7.238 e no ano passado 7878.

Neste período, a APAV registou 22.387 processos de apoio a vítimas de violência doméstica, uma média de 49 queixas de violência doméstica por dia.


A violência contra a mulheres é uma violação dos direitos fundamentais das mulheres.  
O impacto da violência perpetrada contra as mulheres não se limita às vítimas diretamente envolvidas, afetando famílias, amigos/as e a sociedade no seu conjunto.
Hoje, no Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, dizemos: basta!
Quebre o silêncio!


Documentos para Download:
Relatório APAV (2016): Vítimas de Violência Doméstica 2013-2015
Relatório Observatório de Mulheres Assassinadas (OMA) – UMAR (2016): Relatório preliminar (01 de Janeiro a 20 de Novembro de 2016)
Read More
  • Jogo Educativo – Cidadania 4Kids!

  • UMA FORMA DIVERTIDA DE APRENDER CIDADANIA!

    São jogos, quebra-cabeças, puzzles, sudokus e muito mais!

    100% Português. 100% Solidário.

    Ao COMPRAR está a APOIAR a Associação ACEGIS!

  • ECONOMIA SOCIAL EM DESTAQUE | ATUALIDADEInformação e atualidade no âmbito da Economia Social e Solidária

    Dia Internacional da Juventude: celebrando os jovens construindo paz

    11 Agosto, 2017
    Dia Internacional da Juventude: celebrando os jovens construindo paz Atualmente, existem cerca de 1.8 mil milhões de jovens entre os 10 e os 24 anos de idade, cerca de um quarto da população mundial. A maior geração de jovens de sempre na história da humanidade, está nas nossas mãos ajudá-la a tornar-se a geração que […]

    Pós-Graduação em Empreendedorismo e Inovação

    10 Agosto, 2017
    1.ª Edição da Pós-Graduação em Empreendedorismo e Inovação no ISCSP – Universidade de Lisboa Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas – ISCSP  As candidaturas à Pós-Graduação do ISCSP para o ano letivo de 2017-2018 encontram-se abertas até ao dia 30 de setembro de 2017. 1.ª Edição da Pós-Graduação em Empreendedorismo e Inovação no ISCSP […]
31 visitantes ligados agora
1 visitantes, 30 bots, 0 membros