Conferência “A violência doméstica como crime violento”

Conferência “A violência doméstica como crime violento”

29 de março | 14h30 – 17h30 | Sala do Senado

 

Subcomissão para a Igualdade e Não Discriminação da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias organiza a conferência “Violência doméstica como crime violento”.​

Portugal não tem uma taxa elevada de crime violento, mesmo quando analisamos os cerca de 100 homicídios consumados que se registam anualmente. Contudo, não podemos deixar de assinalar a elevada taxa de crimes que ocorrem em contexto de violência doméstica ou discussão familiar.


Segundo fonte da Polícia Judiciária, dos 114 homicídios registados em 2016, 18 ocorreram em contexto de violência
doméstica (16%); em 2017, dos 122 homicídios, 14 ocorreram em contexto de violência doméstica (12%); em 2018, dos 139 registados, 32 ocorreram em contexto de violência doméstica (23%) e, de janeiro a 11 de março de 2019, dos 27 registados, 14 ocorreram em contexto de violência doméstica (52%).


Os dados do Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) 2017 indicam que a violência doméstica é o segundo tipo de
crime mais praticado no quadro dos crimes contra as pessoas, logo a seguir ao crime das ofensas à integridade física voluntária simples. Efetuaram-se nesse ano 27.003 avaliações de risco, das quais 22% foram classificadas de risco elevado.


Os processos por crime de violência doméstica têm natureza urgente como é definido pelo art.º 28º, da Lei n.o 112/2009,

de 16 de setembro, e a Convenção do Conselho da Europa para a Prevenção e o combate à Violência Contra as Mulheres
e a Violência Doméstica, designada por Convenção de Istambul, assinada e ratificada por Portugal na linha da frente, assume como principais objetivos a proteção das mulheres contra todas as formas de violência, bem como formas de a prevenir através da conceção de um quadro global e políticas e medidas de proteção deste tipo de criminalidade, tendo
em vista a adoção de uma abordagem integrada para a eliminação da violência doméstica.


Pese embora todos os avanços legislativos das últimas décadas e da prioridade política que a temática tem
vindo a assumir de uma forma transversal por todas as governações, é certo que os índices deste tipo de criminalidade se mantêm em patamares muito elevados e tendem a persistir, pelo que urge uma abordagem sistematizada do fenómeno com vista à procura de estratégias inovadoras de combate e prevenção desta grave violação dos direitos humanos das mulheres.


A Subcomissão para a Igualdade e Não Discriminação da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos,
Liberdades e Garantias promove um debate na busca de soluções para o problema a que urge dar resposta, conforme consta do programa da conferência.

Inscrição até dia 28 de março.

 

Como Chegar

Associação ACEGIS

A Associação ACEGIS reconhece-se enquanto entidade de referência nas áreas estratégicas da cidadania, inclusão, igualdade de género, empreendedorismo e inovação social.

Recomendamos!

Governo aprova medidas para combater os homicídios em violência doméstica

As vítimas de violência doméstica terão de ser apoiadas pelos mecanismos de proteção do Estado no máximo 72 horas após a apresentação de queixa.

Nove mulheres assassinadas desde o início do ano. Até quando?

Em apenas 35 dias, nove mulheres foram assassinadas em contexto de violência doméstica.

Portugal e a violência contra as mulheres: progressos significativos, mas evidencia uma baixa taxa de condenações judiciais

Relatório GREVIO. Portugal e a violência contra as mulheres: progressos significativos, mas evidencia uma baixa taxa de condenações judiciais

Violência contra as Mulheres: A necessidade de quebrar o ciclo da violência

Seja em casa, na rua, no trabalho ou em conflitos armados, a violência contra mulheres e meninas é uma violação dos direitos humanos que ocorre em espaços públicos e privados

Jogo Educativo - Cidadania 4 KIDS!

O Jogo Educativo – Cidadania 4Kids é um jogo educativo que foi pensado em desenvolver de uma forma lúdica competências e conhecimentos tendo como referência os valores da cidadania, da igualdade, da liberdade, dos direitos humanos, da tolerância e da paz.

São jogos, quebra-cabeças, puzzles, sudokus e mais, muito mais!

 

 

 

Uma forma divertida de aprender Cidadania, Ambiente, Direitos Humanos e os Direitos da Criança.

Jogo produzido e desenvolvido pela Associação ACEGIS, sem qualquer apoio empresarial ou financiamento. Apenas a nossa vontade de mudar o mundo!

Ao COMPRAR está a APOIAR a Associação ACEGIS. 100% Português. 100% Solidário

%d bloggers like this: