Dia Mundial da Discriminação Zero: A universalidade dos Direitos Humanos

No Dia Mundial da Discriminação Zero a ACEGIS reforça a necessidade de garantirmos a universalidade dos direitos humanos

A discriminação, a intolerância e os discursos de ódio não são apenas agressões e crimes individuais. São agressões colectivas contra os direitos humanos.

March 1 is Zero Discrimination Day, an annual worldwide event that promotes diversity and recognizes that everyone counts.

Em 2018 comemora-se o 70.º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos. O princípio da não discriminação é um dos princípios fundamentais da nossa União Europeia. Todas as pessoas são iguais perante a lei e todas têm o direito de viver a sua vida sem discriminação.

O dia de hoje deve ajudar-nos a recordar que temos de permanecer vigilantes face aos discursos de ódio, da discriminação, da xenofobia, da homofobia e todas as outras formas de discriminação baseadas na intolerância.

A discriminação, a intolerância e os discursos de ódio não são apenas agressões e crimes individuais. São agressões colectivas contra os direitos humanos.

A incitação ao ódio e à violência afeta toda a sociedade e motiva o aumento da discriminação e do preconceito sobre os grupos minoritários e mais vulneráveis, em particular as minorias étnicas, comunidades de imigrante e mais recentemente os refugiados. São agressões que constituem um retrocesso na afirmação dos direitos humanos.

Por isso, é fundamental partilhar a mensagem de que a diversidade é condição essencial de desenvolvimento social e económico. Ninguém pode ser deixado/a de parte.

Hoje é também o dia em que devemos rejeitar o discursos de ódio, do preconceito e todas as outras formas de discriminação baseadas na intolerância.

Defendendo o direito universal, de viver em igualdade, sem discriminação, respeitando a dignidade e os direitos humanos. E de construir uma sociedade mais justa, solidária e inclusiva.

A discriminação, a intolerância e os discursos de ódios são uma ameaça fundamental para as nossas sociedade, baseada na universalidade dos direitos humanos, na democracia e na não-discriminação. É em nome desses valores que devemos permanecer vigilantes.

É em nome desses valores que devemos atuar e abrir caminhos à inclusão e promover a resiliência contra todas as formas de discriminação, proporcionado a todos o sentimento comum de que os direitos humanos são universais e se aplicam a todas as pessoas.

A discriminação exclui e alimenta-se dos discursos de ódio e da intolerância. Incumbe-nos a responsabilidade de travar as divisões da sociedade, de abrir caminhos à inclusão e de garantir a universalidade dos direitos humanos. Todas as pessoas têm o direito de viver sem discriminação.