Alto Comissariado para as Migrações está a recrutar formadores/as por todo o país

Alto Comissariado para as Migrações está a recrutar formadores/as por todo o país

O Alto Comissariado para as Migrações (ACM, I.P.) está a recrutar formadores/as nas seguintes áreas: Ciências Sociais e Humanas; Ensino / Ciências da Educação; Ciências Políticas; Direito. Candidaturas até 30 de março.

O Alto Comissariado para as Migrações (ACM, I.P.) é um instituto público que tem por missão colaborar na definição, execução e avaliação das políticas públicas, transversais e setoriais em matéria de migrações.

Bolsa de Formadores/as ACM

 

O ACM,I.P. pretende recrutar formadores/as distribuídos/as por todo o país nas seguintes áreas: Ciências Sociais e Humanas; Ensino / Ciências da Educação; Ciências Políticas; Direito. 

 O Alto Comissariado para as Migrações (ACM, I.P.) é um instituto público que tem por missão colaborar na definição, execução e avaliação das políticas públicas, transversais e setoriais em matéria de migrações, relevantes para a atração dos migrantes nos contextos nacional, internacional e lusófono, para a integração dos imigrantes e grupos étnicos, em particular as comunidades ciganas, e para a gestão e valorização da diversidade entre culturas, etnias e religiões.

 


A Bolsa de Formadores/as ACM

A formação ACM, I.P., dirigida a cidadãos, profissionais e entidades que, direta ou indiretamente, estejam ligados às questões da Interculturalidade e das Migrações, é realizada através da Bolsa de Formadores ACM.

A Bolsa de Formadores tem como objetivos:

Promover uma melhor compreensão da diversidade cultural;

Sensibilizar para o acolhimento e integração de migrantes e minorias étnicas em Portugal;

Formar para a interculturalidade.

 

A intervenção da Bolsa de Formadores/as assume-se como um instrumento estratégico de concretização das atribuições do ACM, I.P. e das prioridades de política pública no domínio das migrações na medida em que responde à necessidade de formação e sensibilização sentidas pelos vários atores da sociedade de acolhimento como Escolas, Municípios, Centros de Saúde, Forças de Segurança, Associações, Empresas, entre outros.

As ações de formação/sensibilização são, na sua maioria de curta duração, de 4 a 6 horas, estando os conteúdos e materiais formativos já definidos para cada ação.


 

Requisitos dos/as candidatos/as

Obrigatórios

  • Certificado de Competência Pedagógica (CCP); Experiência profissional na Formação de Adultos;

  • Experiência profissional em uma ou mais das seguintes áreas: migrações, cidadania, interculturalidade, direitos humanos, gestão da diversidade, legislação sobre imigração, saúde da população migrante, religiões, metodologias de educação não formal;

  • Excelente capacidade de expressão, comunicação e gosto por relações interpessoais, particularmente em contexto de formação;

  • Situação regularizada junto da Autoridade Tributária e da Segurança Social em Portugal; Flexibilidade horária.

 

Preferenciais:

  • Grau de Ensino Superior (bacharelato, licenciatura), preferencialmente, nas seguintes áreas: Ciências Sociais e Humanas; Ensino / Ciências da Educação; Ciências Políticas; Direito. Formação específica nas áreas identificadas anteriormente;
  • Domínio das TIC sobretudo em processos de ensino-aprendizagem;
  • Capacidade e interesse de conviver e trabalhar com outras pessoas, em meios multiculturais;
  • Capacidade de adaptação e tolerância à ambiguidade; Espírito de cooperação, abertura, capacidade de negociação e gestão de conflitos;
  • Autonomia, criatividade, proatividade; Disponibilidade de deslocação;
  • Disponibilidade para participar no processo de formação inicial intensiva (previsivelmente de 3 dias). 

Formalização de Candidaturas

Os/as interessados/as deverão preencher o formulário, até o dia 30 de março de 2018.

Não serão aceites candidaturas através de Curriculum Vitae. Não serão consideradas candidaturas que não cumpram os requisitos obrigatórios.

Para informações: formacaoacm@acm.gov.pt

Associação ACEGIS - ONGD

Associação para a Cidadania, Empreendedorismo, Género e Inovação Social