Hack for Good: Uma maratona digital para melhorar a vida dos refugiados

Hack for Good: Uma maratona digital para melhorar a vida dos refugiados

Nos dias 24 e 25 de junho, a Fundação Calouste Gulbenkian organiza mais uma edição do Hack for Good.
A maratona digital vai centrar-se no desenvolvimento de soluções tecnológicas destinadas a melhorar a vida dos refugiados
As candidaturas decorrem até 20 de maio.


A segunda edição da maratona digital quer criar soluções tecnológicas para melhorar a vida dos refugiados | 24 e 25 de junho, Fundação Calouste Gulbenkian
Nos dias 24 e 25 de junho, a Fundação Calouste Gulbenkian organiza mais uma edição do Hack for Good.
A maratona digital vai centrar-se no desenvolvimento de soluções tecnológicas destinadas a melhorar a vida dos refugiados, numa parceria com o Techfugees, uma comunidade global que surge como facilitador de conhecimento sobre o tema.
Pretende-se que os/as participantes desenvolvam soluções abrangentes e sustentáveis para resolver os desafios atualmente vividos por refugiados e organizações de apoio aos refugiados.
Estes desafios estruturam-se em torno de soluções que permitam maior conectividade e acesso à internet e tecnologia, soluções de educação formal e não formal online e offline, soluções para reconhecimento de diplomas e documentação que permitam a integração dos migrantes nos países que os acolhem, desenvolvimento de inovações tecnológicas na área da saúde e facilitação da integração social, cultural e económica de refugiados nas suas comunidades de acolhimento.
A iniciativa pretende reunir mais de 150 participantes de áreas como programação, design, engenharia, gestão e outros profissionais.
Em 2016, a Fundação Calouste Gulbenkian lançou o Hack for Good um hackathon que tem como missão criar uma ligação forte entre o sector tecnológico (e os seus profissionais) e o sector social.

As inscrições estão abertas até dia 20 de maio.
Faça aqui a sua inscrição.
Mais informações em www.hackforgood.pt.