Cidade de Alepo corre o risco de destruição total

Guerra na Síria: cidade de Alepo corre o risco de destruição total

Enviado especial da ONU na Síria alerta para a possibilidade da destruição total de Alepo. Correndo o risco de desaparecer do mapa, em apenas dois meses.

Uma cidade totalmente destruída. Essa poderá ser a imagem que o mundo vai ver, no dia de Natal.
aleppo-destruction-acegisO enviado especial da ONU para a Síria afirmou esta quinta-feira que Alepo enfrenta a possibilidade de destruição total. Correndo o risco de desaparecer do mapa, em apenas dois meses.

.

“O que poderá acontecer se os bombardeamentos continuarem? Depois de dois meses, dois meses e meio de ataques de tal intensidade, Alepo poderá acabar completamente destruída”

Staffan de Mistura
Há um mês, e a poucos meses do fim do mandato de Barack Obama renascia a esperança de haver um entendimento ente as duas grande potências para a paz na Síria. Após difíceis negociações, os Estados Unidos e a Rússia anunciavam uma trégua nos combates, que afectavam mais intensamente a cidade de Apelo.
acordo-cessar-fogo-na-siria_acegisA 9 de setembro, John Kerry (dos Estados Unidos) e Sergei Lavrov (da Rússia) firmavam um acordo em Genebra, que previa, para além do cessar-fogo temporário, a cooperação militar, entre os dois países, contra os extremistas, a prestação de ajuda humanitária à cidade síria de Alepo.
A 12 de setembro entrava em vigor um período de tréguas. Começava-se a preparar a entrega de ajuda humanitária nas áreas sitiadas, nomeadamente em Alepo. O acordo de cessar-fogo na Síria, era apresentado como a “última oportunidade” para fazer sair o país do caos e acabar com cinco anos de uma guerra devastadora.
Depois de uma curta trégua, e de acusações de violação da mesma, o ataque a um “comboio” de ajuda humanitária, a 19 de setembro punha um ponto final nas escassas esperanças do cessar-fogo. 
O bombardeamento atingiu pelo menos 18 dos 31 camiões que transportavam roupas, medicamentos e alimentos, para apoiar cerca de 78 mil pessoas.
ajuda-humanitaria-aleppo_acegisAs Nações Unidas suspendiam de imediato todos os envios de comboios humanitários na sequência do ataque.
Desde 22 de setembro, as bombas não pararam de cair sobre a cidade de Alepo. Deixando um rasto de destruição avassaladora. Os Capacetes Brancos da Síria alertavam que os habitantes de Alepo estavam “apenas à espera de ser mortos”.
A zona rebelde do leste de Alepo era flagelada por uma ofensiva das forças governamentais com o apoio da aviação russa, incluindo diversos ataques a instalações hospitalares.
ataque-hospital-alepo_acegisEsta segunda-feira, 3 outubro, um ataque aéreo atingiu um dos maior hospital da cidade de Alepo.
De acordo com Adham Sahloul, porta-voz da ONG Sociedade Médica Sírio-Americana, este e outro hospital encontram-se fora de serviço, e já tinham sido atingidos anteriormente.
Também o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, denunciou os últimos ataques contra hospitais na cidade de Alepo, e denunciou o que chama de crimes de guerra na Síria, considerando que que a situação é piot do que a de “um matadouro é inclusive mais humana.

.

“Imaginem um matadouro. O que está a acontecer é pior. Um matadouro é inclusive mais humano. Hospitais, clínicas, ambulâncias e pessoal médico em Aleppo estão sob ataque, sem trégua”

Ban Ki-moon
As Nações Unida, estimam que entre 250 mil e 275 mil pessoas continuam no leste de Alepo, cercadas pelas tropas do regime e impossibilitando o envio da ajuda humanitária.
Em agosto deste ano, um menino de cinco anos vítima de um bombardeamento, em Alepo, tornando-se o rosto do sofrimento humano na guerra civil síria, que se arrasta há cinco anos. A imagem tornou-se viral.
As redes sociais, clamaram justiça, exigindo intervenção imediata. Mas pouco ou nada se fez. Alepo enfrenta agora a possibilidade de destruição total.
Corre o risco de desaparecer do mapa, em apenas dois meses.
Uma cidade totalmente destruída. Essa poderá mesmo ser a imagem que o mundo vai ver, no dia de Natal.
A cidade de Alepo não terá Natal.
aleppo-destruction-acegis
por Susana Pereira
Fundadora da ACEGIS

2 thoughts on “Cidade de Alepo corre o risco de destruição total

  1. Atualização | Update: Guerra na Síria
    12 de outubro de 2016

    Guerra na Síria: agravamento das relações tensão entre a Rússia e Estados Unidos
    A Turquia declarou hoje recear que a guerra na Síria evolua para um confronto mundial.

    Continuamos a acompanhar com grande preocupação as últimas notícias que nos chegam, dando conta do agravamento do conflito, e do receio que evolua para um confronto mundial.

    Esta quarta-feira, o vice-primeiro-ministro da Turquia, Numan Kurtulmus, afirmou que o conflito sírio colocou o mundo “à beira de uma vasta guerra regional ou mundial”.
    “Se a guerra por procuração prosseguir, deixem-me ser claro, a América e a Rússia vão chegar a uma guerra”.

  2. Atualização | Update: Guerra na Síria
    14 de dezembro de 2016

    A destruição da Alepo continua. O silêncio impera.
    Em outubro alterávamos que Alepo enfrentava a possibilidade de destruição total. Correndo o risco de desaparecer do mapa, em apenas dois meses.
    “Uma cidade totalmente destruída. Essa poderá mesmo ser a imagem que o mundo vai ver, no dia de Natal.”Dois meses depois a destruição continua diante do silêncio da comunidade internacional.

    Os apelos à criação de corredores humanitários não têm sido escutados e milhares de vidas inocentes estão em risco.
    A situação piora a cada hora que passa para os civis encurralados em Alepo.

    “Alepo está numa situação de urgência absoluta: cerca de 100.000 pessoas estão ainda presas num território de cinco quilómetros quadrados”, disse à AFP a presidente dos Médicos do Munde, Françoise Sivignon, pedindo a retirada dos civis daquele “inferno”.

    http://edition.cnn.com/2016/12/13/world/aleppo-destroyed-by-worlds-silence-twitter/index.html?sr=twcnni121416aleppo-destroyed-by-worlds-silence-twitter0554PMVODtopLink&linkId=32384285

    #Alepo #Aleppo #Syria #StandWithAleppo

Comments are closed.