758 milhões de pessoas não conseguem ler isto

8 de setembro,  Dia Internacional da Literacia

758 milhões de pessoas não conseguem ler isto.

A UNESCO estima que 758 milhões de pessoas não sabem ler ou escrever uma frase simples. Dois terços são mulheres.

785-milho%cc%83es-de-pessoas-na%cc%83o-conseguem-ler-isto_acegis

“Ler o passado, escrever o futuro” é o lema deste ano, no Dia Internacional da Literacia. A data celebra-se, desde 1966, por iniciativa da UNESCO a 8 de setembro, dando visibilidade aos esforços de combate à iliteracia, um pouco por todo o mundo.  

 

Em todo o mundo, 758 milhões de pessoas não sabem ler ou escrever uma frase simples, dois terços são mulheres. Os dados são divulgados pela UNESCO, no dia em que assinala os 50 anos do Dia Internacional da Literacia.

Desde 1966 foram feitos grandes progressos nesta matéria, entre 1990 e 2015, foi reduzida em 25% o número de pessoas analfabetas. Irina Bokova, directora-geral da UNESCO, considera no entanto que o analfabetismo continua a ser “sinónimo de exclusão e pobreza”, pelo que “urge reverter essa situação”.

 

sdg-goal4-education_acegisEm setembro de  2015, na cimeira da ONU o direito à educação de qualidade foi inscrito nos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), a nova agenda de ação até 2030.

O compromisso foi  garantir, até 2030,  o direito à educação de qualidade a  todas as crianças:

até 2030, garantir que todas as meninas e meninos completem o ensino primário e secundário livre, equitativo e de qualidade, que conduza a resultados de aprendizagem relevantes e eficazes”.

.


No 50º aniversário do Dia Internacional da Literacia, a ACEGIS destaca que é pela educação que se combate a pobreza e a exclusão social. 

 

Milhões de mulheres e meninas continuam a ser impedidas de ir à escola, de saber ler e escrever. Em todo o mundo, dois terços das pessoas analfabetas são mulheres.

A pobreza e a desigualdade de género andam de mãos dadas, é essa a conclusão que podemos retirar do mais recente relatório da ONE , “Poverty is sexist” (2016) :

 

 62 milhões de meninas não têm acesso à educação e,

 500 milhões de mulheres não sabem ler ou escrever.

 

É inaceitável que em 2016, o direito à educação continue a ser negado a milhões de mulheres e meninas, condenando-as à pobreza e à exclusão social.  Negar o acesso à educação, ameaça não apenas o seu futuro, mas compromete igualmente o futuro das suas gerações. 

.

malala_acegis

“Uma criança, um professor, um livro e uma caneta podem mudar o mundo”.

 Malala Yousafzai, Prémio Nobel da Paz em 201

.


Leia o comunicado de Silvia Montoya, Diretora do Instituo de Estatísticas da UNESCO, no âmbito da comemoração do 50º Aniversário do Dia Internacional da Literacia.

50 years of International Literacy Day: Time to develop new literacy data

Silvia Montoya, Director of the UNESCO Institute for Statistics 

por, Susana Pereira

Fundadora da ACEGIS