Dia Internacional Contra a Utilização de Crianças Soldado

Dia Internacional Contra a Utilização de Crianças Soldado

International Day against the Use of Child Soldiers

12 de fevereiro foi a data escolhida para alertar a comunidade internacional para esta trágica e chocante realidade que afeta  centenas de crianças que continuam a ser raptadas, abusadas e utilizadas em conflitos armados.
Estima-se que existam cerca de 250 mil crianças soldados, recrutadas à força em conflitos armados em mais de 20 países em todo o mundo.


12 de fevereiro foi a data escolhida para alertar a comunidade internacional para esta trágica e chocante realidade que afeta  centenas de crianças que continuam a ser raptadas, abusadas e utilizadas em conflitos armados.
Estima-se que existam cerca de 250 mil crianças soldados, recrutadas à força em conflitos armados em mais de 20 países em todo o mundo. Apesar dos esforços e dos compromissos internacionais assumidos para pôr um fim a esta situação, existe ainda caminho por percorrer.
No Afeganistão, as crianças chegam a ser usadas como bombistas suicidas, para fabricar armas ou transportar explosivos
No Iraque e na Síria, as crianças com 12 anos, são submetidas a treino militar, sendo posteriormente usadas como informantes ou em patrulhas, em postos de controlo ou para guardar pontos estratégicos. Em alguns casos, também são utilizadas como bombistas suicidas ou para levar a cabo execuções.
Na República Democrática do Congo, cerca de duas mil crianças estão a ser utilizadas por grupos armados sobretudo nas províncias orientais do Kivu do Norte e do Sul.
O Boko Haram, responsáveis pelo sequestro de 276 meninas, em janeiro de 2015 usa uma  “menina-bomba” num atentado a um mercado da cidade de Maiduguri, nordeste da Nigéria. Tinha 10 anos. 

Children Notsoldiers# CHILDREN NOT SOLDIERS

O Dia Internacional Contra o Uso de Crianças-Soldados foi assinalado pela primeira vez a 12 de Dezembro de 2002, aquando da entrada em vigor do Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao envolvimento de crianças em conflitos armados.
Este protocolo foi aprovado pela Assembleia Geral nas Nações Unidas a 25 de Maio de 2000 e foi ratificado por 159 Estados.
Portugal ratificou este Protocolo Facultativo a 19 de Agosto de 2003.

 

Relatório da ONU – Crianças e Conflito Armado (2015)