Todos os dias morrem 16 mil crianças no mundo, com menos de 5 anos.

11 Crianças por minuto.

16,000 children under 5 years old die each day


De acordo com o último relatório da UNICEF, a maior parte das crianças morre por causas evitáveis. 
Desde 1990, o mundo perdeu 236 milhões de crianças com menos de 5 anos.  A pobreza nega à criança a  dignidade, ameaça a sua vida e limita seu potencial.
Apesar do índice de mortalidade infantil ter diminuído desde 1990, ainda não se está a fazer o suficiente para alcáçar a meta estipulada pelo quarto Objetivo de Desenvolvimento do Milénio (ODM), que prevê a redução de dois terços desta taxa entre 2000 e 2015.
A mortalidade infantil no mundo ter diminuído 53%% nos últimos 25 anos. No entanto, isso não impediu que, diariamente, 16 mil crianças morram sem completar 5 anos. Essa é a realidade divulgada Relatório 2015 – Níveis e Tendências em Mortalidade Infantil , pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Organização Mundial da Saúde (OMS), Banco Mundial e Divisão de População do Departamento da ONU para Assuntos Económicos e Sociais (DESA).
Segundo o relatório, apesar do número de mortes de crianças com menos de cinco anos ter caído de 12,7 milhões por ano em 1990 para 5,9 milhões em 2015, desde 1990 até 2015 o mundo o mundo perdeu 236 milhões de crianças com menos de 5 anos.

O relatório destaca que as doenças inoficiosas, como a pneumonia e diarreia e complicações neonatais são responsáveis pela maior parte dos óbitos de crianças com menos de cinco anos no mundo.

 

As principais causas de morte apontadas para este público em 2015 incluem pneumonia (17%), complicações no parto pré-termo (16%), complicações neonatais intrauterinas relacionadas ao parto (11%), diarreia (8%), sepse neonatal (7%) e malária (5%).
Segundo o relatório “A maior parte das mortes entre crianças pode ser facilmente evitada por meio de intervenções comprovadas e prontamente disponíveis”, destacou a OMS.
Os dados indicam que a redução da mortalidade infantil no mundo pode ser acelerada de forma considerável se os esforços se concentrarem nas regiões onde os índices são maiores e em recém-nascidos.
A África Subsaariana tem a maior taxa de mortalidade infantil no mundo – 1 em cada 12 crianças morre antes de completar o primeiro ano de vida.
A responsabilidade pela erradicação da pobreza que afeta cada criança, que ameaça a sua vida e limita o seu potencial, é global.
Estará o mundo disposto a eliminar a pobreza e mortalidade infantil e alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em 2030?
 «Não existe revelação mais nítida da alma de uma sociedade do que a forma como esta trata as suas crianças.»  Nelson Mandela

 
pdf[Download] Relatório 2015 Níveis e Tendências em Mortalidade Infantil