Portugal voltou aos níveis de pobreza de há dez anos

 Jornal PublicoArtigo do jornal Público
A taxa de privação material cresce. Há mais pessoas em risco de exclusão social. Mais crianças pobres. E quem é pobre está mais longe de deixar de o ser. 
Quase 1 em cada 5 pessoas está em risco de pobreza.

.

Pobreza Portugal


Em 2013, as dificuldades financeiras aumentaram risco de pobreza das crianças. A desigualdade de rendimentos agravou-se. E quem é pobre ficou mais longe de deixar de o ser. 
Quase 1 em cada 5 pessoas está em risco de pobreza
«Não só estamos a agravar fortemente a taxa de pobreza como estamos a [deixar que] os pobres tenham piores condições»
Portugal voltou aos níveis de pobreza e exclusão social de há dez anos. Agora, como em 2003 ou 2004, uma em cada cinco pessoas é pobre. Dois milhões de portugueses.
Em 2009 a taxa de pobreza era de 17,9%, quatro anos depois chega aos 25,9%.
A taxa de privação material cresce. Há mais pessoas em risco de exclusão social. Mais crianças pobres. E quem é pobre está mais longe de deixar de o ser.

“Ter emprego não é uma vacina contra a pobreza”.
Pobreza Portugal 2Em 2013, o agravamento da pobreza aconteceu em todos os grupos etários, atingiu com maior impacto as mulheres e foi particularmente significativo entre as crianças.
O risco de pobreza é de 20% para as mulheres e de 18,9% para os homens. No caso dos menores de 18 anos, a taxa abrange já 25,6% da população. 
“Ter emprego não é uma vacina contra a pobreza”.
Entre as pessoas que têm trabalho, uma em cada dez é considerada como estando em risco de pobreza. A taxa, que tinha recuado de 2010 para 2011, subiu no ano seguinte para 10,5% e voltou a aumentar em 2013, passando para 10,7%.
Leia todo o artigo no jornal Público.