Publicação ACEGIS «Equilíbrio de Género nos Conselhos de Administração: as Empresas do PSI 20»

Capa Relatorio ACEGIS _PSI 20No âmbito do Dia Internacional da Mulher, a ACEGIS publica o relatório: «Equilíbrio de Género nos Conselhos de Administração: as Empresas do PSI 20»

 

Em 277 membros do conselho de administração das empresas do PSI 20, apenas 18 são mulheres.

 

O desequilíbrio entre os sexos em conselhos de administração continua a ser um desafio importante para todos os Estados-Membros da União Europeia (UE).

A participação equilibrada de homens e mulheres no poder e tomada de decisão política e económica é reconhecida como um requisito da democracia igualitária,  e um contributo decisivo para desenvolvimento económico e sustentável.

 


Publicação ACEGIS «Equilíbrio de Género nos Conselhos de Administração: as Empresas do PSI 20»

Em novembro de 2012 a Comissão Europeia adotou uma proposta de diretiva que fixa ter um mínimo de 40% para o sexo sub-representado entre os administradores não-executivos das empresas cotadas em bolsa.

 

A proposta procura promover a igualdade entre homens e mulheres na tomada de decisão económica e explorar plenamente os talentos dos diferentes candidatos, através de uma representação mais equilibrada entre homens e mulheres nos conselhos de administração das empresas, contribuindo assim para os objetivos da estratégia Europa 2020.

O objetivo deste relatório consiste em obter uma melhor compreensão e diagnóstico relativamente à questão do equilíbrio de género nos conselhos de administração das empresas do PSI 20 no sentido de reforçar os mecanismos de acesso da mulher a lugares de decisão económica e financeira.

Os resultados do relatório, permitem não só conhecer a situação individual de cada uma das empresas do PSI 20, bem como propor a medidas ações práticas para que as mesmas adotem políticas de promoção da igualdade de género, que conduzam ao objetivo da presença plural de mulheres e homens nos cargos de administração das empresas.


 

A percentagem de mulheres em conselhos de administração é de apenas 6,5%. 

Esta percentagem é consideravelmente inferior em comparação com a percentagem de mulheres nos conselhos de administração das maiores empresas cotadas em cada um dos 27 Estados-Membros 15,8%

Ou seja 9,3 pp abaixo da média da UE-27, ficando muito aquém do cumprimento da meta de 40% propostas pela Comissão Europeia para 2020.

 

Em 277 membros de conselho de administração das empresas do PSI 20, apenas 18 são mulheres, sendo que nenhuma mulher ocupa o cargo de Presidente do Conselho de Administração, nem de Presidente Executiva. Enquanto na UE-27 a percentagem de mulheres Presidentes dos Conselhos de Administração de empresas é de 3,3%, e 2,4% desempenham o cargo de Presidentes Executivas.

 

Apenas 3 empresas que compõem o PSI 20, têm uma percentagem de mulheres nos conselhos de administração superior à média da UE-27 (15,8%): a Cofina com 16,7% e a Altri com 20%, destacando-se o grupo Mota-Engil com 26,7%.

 


Em 7 empresas do PSI 20 nenhuma mulher ocupa qualquer cargo nos respetivos conselhos de administração

 

CA PSI 20_2

Em 7 empresas do PSI 20 verifica-se que nenhuma mulher ocupa qualquer cargo nos respetivos conselhos de administração, nomeadamente: EDP Energia, EDP Renováveis, Semapa, Sonea Industria, Jerónimo Martins, Espírito Santo FG e na Portucel Soporcel.


 

Estes indicadores, evidenciam que para alcançar a meta de 40% do sexo sub-representado até 2020 é necessário incentivar e promover medidas mais eficazes que conduzam as empresas à adoção de políticas de promoção da igualdade de género, e de acesso às mulheres a cargos de administração e de fiscalização das empresas.

Muito embora Portugal disponha de vários instrumentos legais, recomendação e incentivos às empresas na promoção da igualdade de género e equilíbrio de género nos cargos de gestão e executivos, os resultados práticos e as metas atingidas são muito escassas, estando muito aquém quer dos objetivos estabelecidos inclusive pela EU-27, uma vez que os mesmos são na sua generalidade de carácter voluntário e/ ou recomendativo.

A ACEGIS entende que a recente Resolução do Conselho de Ministros n.º 19/2012, deveria estender o seu carácter obrigatório às empresas do sector privado cotadas em bolsa, na adoção de planos para a igualdade, de forma a promover a participação equilibrada de homens e mulheres nos processos de tomada de decisão, reconhecendo o seu contributo para o crescimento sustentável e desenvolvimento do país.


.

Capa Relatorio ACEGIS _PSI 20Para ler na íntegra o relatório:

Equilíbrio de Género nos Conselhos de Administração: as Empresas do PSI 20

Faça aqui (download)

.

.