Programa PARES

Concluídos 129 equipamentos para idosos com mais de quatro mil lugares

O número de equipamentos para idosos concluídos no âmbito do programa PARES atinge 129, correspondendo a 4081 lugares, do total de 556 respostas sociais já aprovadas para este grupo, disse o secretário de Estado da Segurança Social.

Das unidades finalizadas, 51 são lares, que disponibilizam 1443 lugares, 43 são centros de dia, com 1350 vagas, e 35 referem-se ao Serviço de Apoio Domiciliário. Desde a criação do PARES (Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais), em 2006, foram aprovadas 556 respostas sociais para idosos, a que correspondem 18.653 lugares e um financiamento de 113,8 milhões de euros, segundo dados do Ministério do Trabalho e Solidariedade Social.

“O balanço é muito positivo, temos a esmagadora maioria das respostas sociais da área dos idosos em obra, adjudicados, ou mesmo já concluídos”, afirmou Pedro Marques. “Com os mais de 18 mil lugares do PARES e os mais de cinco mil lugares do programa [Operacional] Potencial Humano, vamos ter mais 24 mil lugares ao serviço dos nossos idosos”, frisou, no entanto, o governante.

Através do POPH foram aprovados 129 equipamentos sociais para idosos que vão criar 5604 novos lugares, resultado de um financiamento público de 84,3 milhões de euros, para um investimento total de 161,4 milhões de euros. Os equipamentos já adjudicados no âmbito do PARES ascendem aos 480, com uma intervenção em 15.408 lugares e, destes, 129 estão concluídos.

Depois destas duas iniciativas, que “são um impulso muito importante no alargamento da rede, cabe-nos fazer um esforço de não estarmos continuamente a fazer novos alargamentos de forma tão significativa como nestes programas, sem fazer previamente uma avaliação efectiva das necessidades”, referiu. Por isso, quando estiverem concluídos os projectos, será realizada uma avaliação para averiguar se ainda persistem necessidades.

Os equipamentos do programa PARES, “tendencialmente, durante o ano de 2011, estarão na sua esmagadora maioria concluídos”, segundo o secretário de Estado. “De acordo com os números que têm vindo a ser avançados pelas organizações representativas do sector social, a soma das listas de espera em todo o país, mesmo com duplicações e triplicações, é inferior, em muitos casos, a todos os lugares em criação no âmbito do PARES”, defendeu o secretário de Estado.

Pedro Marques recordou que esta rede está a desenvolver-se em paralelo e em articulação com a rede de cuidados continuados também de apoio a idosos e que vai ter “vários milhares de lugares” à disposição dos cidadãos mais velhos. O Estado paga 350 euros por mês para cada idoso, no âmbito de acordos de cooperação com instituições, apontou.

Por Lusa, in Público